Onde investir com menos de R$100?

09/10/18 Autor: admin

O Warren Buffet, o maior investidor do mundo, acumulou uma fortuna de US$ 86 milhões. Ray Dalio fundou o maior fundo hedge do mundo, que administra US$ 160 bilhões em ativos. Essas cifras parecem dar a entender que só pode investir quem tem muito dinheiro. Pelo contrário. É possível começar a investir com muito menos. Com apenas R$ 100, você pode começar uma trajetória de sucesso no mercado financeiro.
Veja as oportunidades que custam menos de R$ 100:

Fundos de ações

Grandes bancos costumam oferecer fundos de ações que recebem investimentos iniciais de R$ 100,00 e aportes adicionais de R$ 50,00. Quando você investe no fundo, está emprestando dinheiro para o banco operar no mercado de ações. Por isso, ele costuma cobrar taxas de administração, que podem comer os ganhos do investidor se forem muito altos. Além disso, sobre todo investimento em fundo incide uma taxa de IOF regressiva, ou seja, que começa em 99% e fica menor quanto mais tempo você mantém o dinheiro investido.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto permite que o investidor adquira até 1% do valor de um título, a um custo mínimo de R$ 30,00. Por exemplo, o Tesouro Prefixado 2025, que rende 11,10% ao ano (enquanto a SELIC está em 6,50% ao ano), pode ser comprado por R$ 31,16. Ou seja, com muito pouco dinheiro você pode começar a investir em um título público com rendimento garantido acima do mercado.
O Tesouro Direto é um bom caminho para começar uma experiência como investidor. Afinal, o recurso aplicado em título público pode também ser utilizado como garantia para operações de mais risco, como aluguel de ações e venda de opções à descoberto.

CDB

O CDB é um título de dívida de um banco. Para quem investe, não é muito diferente do Tesouro Direto, exceto o fato de que do outro lado está uma instituição financeira e não o governo. Alguns bancos operam com CBDs de depósitos muito baixos. O Nubank, por exemplo, paga 100% do CDI para qualquer depósito feito na Nuconta, uma conta corrente que opera como um CDB de rentabilidade diária, atrelada ao cartão de crédito.

Warren

A fintech Warren oferece uma plataforma bastante simples e barata de investimento. Trata-se de uma corretora de valores que opera com cinco fundos próprios, com diferentes níveis de riscos. Os fundos da Warren são compostos por títulos do Tesouro Direto e ETF (Exchange Trade Funds), também conhecidos como fundos de índice. Você pode investir a partir de R$ 100,00, e a rentabilidade do investimento é diária.

Aluguel de ações

Se você não tem dinheiro para comprar ações, pode aluga-las de quem tem. Esta é uma estratégia interessante para quem está, por exemplo, apostando em uma queda rápida do valor de determinada ação, ou quer atuar no mercado de opções. O investidor pode alugar as ações de quem tem, comprometendo-se a devolvê-las após um determinado período. Uma vez alugadas, ele pode, por exemplo, vende-las na alta, esperar cair e recompra-las, para devolvê-las ao locatário. Também pode-se alugar ações para operações de Long & Short.
O aluguel das ações envolve custos com taxa de corretagem, taxa de registro na B3 (0,25% do valor da operação, limitado a no mínimo R$ 10,00) e a remuneração para o locador das ações.

Opções

Para investidores mais agressivos, investir em opções é uma alternativa barata e que pode gerar ganhos interessantes. É um investimento de maior risco também. Há opções interessantes cotadas a menos de R$ 1, e que estão acessíveis para o investidor de patrimônio baixo. Corretoras como a Clear oferecem também operações estruturadas, isto é, combinações de opções montadas para gerar ganhos reduzindo as perdas do investidor. Tanto opções quanto operações estruturadas podem ser montadas por menos de R$ 100,00